Rádio Colmeia

PMSC completa 183 anos em serviço ao povo catarinense

maio 09
18:00 2018

Foto: Tiago Amaral/ Rádio Colmeia

Na última sexta-feira, 4 de maio, a Polícia Militar do Estado de Santa Catarina (PMSC), esteve realizado em várias unidades pelo estado, homenagens para os policiais que receberam promoção, e também comemoraram os 183 anos de história a favor de servir a sociedade catarinense.

São anos de orientação, apreensão e de ajudar a comunidade de Santa Catarina em momentos de dificuldade. Além de estar ao lado do povo, os policiais militares também lembraram que são 183 anos, que vários amigos, companheiros e irmãos de fardas foram embora devido a criminalidade.

Uma das homenagens do evento ocorreu na cidade de Porto União, em que o Major Silvano Sasiski, recebeu na unidade da PM, o prefeito de Porto União, Eliseu Mibach e autoridades militares do Estado do Paraná e Santa Catarina, para as homenagens aos policiais e soldados da reserva.

Em sua fala, o Major Silvano Sasiski destacou que o trabalho de um policial militar é sempre estar pronto para ajudar a sociedade de bem e muitas vezes, coloca a própria vida em risco para solucionar os problemas.

 

 

O prefeito Eliseu Mibach em seu discurso, destacou o trabalho da Polícia Militar de Santa Catarina, e em especial os que servem a cidade de Porto União. O chefe do poder executivo, também parabenizou o Major Silvano Sasiski pelo trabalho que vem exercendo no município.

Foto: Tiago Amaral/ Rádio Colmeia

 

 

História da PMSC

Foto: Tiago Amaral/ Rádio Colmeia

As Polícias Militares do Brasil são organizações estatais de direito público. Têm objetivos definidos em lei, que orientam e que se constituem na sua razão de ser. Esses objetivos são as suas finalidades e competências, expressas na legislação específica e na legislação peculiar.

A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), órgão da administração direta do Governo do Estado de Santa Catarina, é uma instituição prestadora de serviços públicos na área de segurança pública, tendo como jurisdição a totalidade do território catarinense.

Criada por Feliciano Nunes Pires, então Presidente da Província de Santa Catarina, através da Lei Provincial Nº 12, de 05 de Maio de 1835, a “FORÇA POLICIAL”, denominação que lhe foi conferida na época, substituiu os ineficazes Corpos de Guardas Municipais Voluntários, então existentes, com a missão de manter a ordem e a tranquilidade pública e atender às requisições de autoridades judiciárias e policiais. Sua área de atuação ficava restrita à vila de Nossa Senhora do Desterro (atual Florianópolis) e distritos vizinhos.

O Regulamento da Força Policial, aprovado em 1836, só veio ratificar a missão acima citada, outorgando-lhe a missão ampla e complexa de atender desde incêndios até a prisão de infratores das posturas municipais. Essa foi, durante muitos anos, a principal missão da Força Policial.

Porém, durante o período Imperial, o Brasil se viu envolvido em inúmeras contendas internas e externas, tais como a Guerra dos Farrapos e a Guerra do Paraguai, para citar apenas as que atingiram mais diretamente o Estado de Santa Catarina.

Durante esses eventos, a Força Policial atuou em conjunto com o Exército Brasileiro (EB), quer seja repelindo as agressões externas, quer seja para defender a unidade pátria, tendo contribuído em muito para a definição e defesa dos limites territoriais tanto do Brasil quanto do Estado. Assim sendo, além da preocupação com a segurança pública, a Força Policial passava a atuar também no campo da Defesa Interna e Segurança Nacional.

Foto: Tiago Amaral/ Rádio Colmeia

Em 1916, recebe a denominação de FORÇA PÚBLICA (Lei Nº 1.137, de 30 de Setembro) e em 1917 passa a ser considerada, através de acordo firmado entre a União e o Estado, força reserva do Exército de 1ª Linha.

Em 10 de Janeiro de 1934 novo acordo entre a União e o Estado eleva a Força Pública à categoria de força auxiliar do Exército Brasileiro. Nesse mesmo ano, a Constituição Federal também passa a considerar as Forças Públicas como sendo Auxiliares do Exército, conferindo-lhes assim, “status” constitucional.

Em 1946, a Constituição Federal altera a denominação para POLÍCIA MILITAR, descrevendo como missão a segurança interna e a manutenção da ordem. Prevê ainda que a União legislará sobre a organização, instrução, justiça e garantias das PM.

Em 1967, a Constituição Federal prevê que a União passará a controlar também o efetivo das PM, criando a Inspetoria Geral das Polícias Militares (IGPM). Orienta ainda que as PM devem voltar-se às atividades policiais.

Em 1988, a Constituição Federal prevê como missão da PM, em seu artigo 144: “a segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todo, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, …”

Foto: Tiago Amaral/ Rádio Colmeia

Foto: Tiago Amaral/ Rádio Colmeia

Artigos Relacionados

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Não há nenhum comentário no momento, você quer adicionar um?

Escrever comentário

Escrever comentário

Calendário

agosto 2018
DSTQQSS
« jul  
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 

Últimos Cometários

Adorei o site, vou recomendá-lo....

Parabéns a Rádio Colmeia e parabéns ao repórter Marciel que entrevistou o juiz João Marcos...

Parabéns a Rádio Colméia por cobrir tão grandioso evento e parabéns ao repórter Marciel pela...

Colméia no Facebook