Agricultor encontra tesouro antigo enterrado perto da casa em Tocantins » Rádio Colmeia FM

Escute a rádio

Agricultor encontra tesouro antigo enterrado perto da casa em Tocantins


22 de janeiro de 2024

Esse agricultor encontrou um tesouro antigo pertinho da casa em que ele mora. Valdomiro Costa, morador do Tocantins, cresceu ouvindo histórias da corrida do ouro na região.

Ele sempre sonhou em achar pelo menos um pouquinho desse valioso metal. Então, ele juntou dinheiro e comprou um detector de metais para começar a procurar. No primeiro dia de uso, ele fez umas buscas perto da casa e o aparelho apitou.

Valdomiro encontrou um pote de barro com mais de 200 moedas antigas. Embora não fosse exatamente o ouro que ele tanto queria, a datação dessas moedas era de 1816, do tempo do Brasil colônia e do império. Um valor histórico imenso!

Ele ficou decepcionado

O agricultor disse que quando encontrou as moedas o primeiro sentimento foi de decepção.

“Eu nem via ‘ligança’. A ligança minha era de arrumar ouro. Falei ‘ah, não vale nada não. Amanhã cedo eu vou é caçar ouro’”, disse ao G1.

Se não fosse o filho, Raelson Costa, ele tiria jogado todas as moedas no lixo. Foi o jovem que levou as peças até a professora.

Um tesouro desconhecido

“Quando eu vi a datação aqui: 1816. Eu falei ‘nossa, isso aqui é um tesouro’, disse a educadora.

Eles pesquisaram bastantes e descobriram que as 206 moedas encontradas são de bronze, mas a mais importante delas é conhecida como ‘patacão’ e é feita de prata, valendo 960 réis.

O lugar onde Valdomiro mora, Conceição do Tocantins, já foi um garimpo na época do ouro, o que deixa a descoberta ainda mais misteriosa, já que tem poucos registros históricos.

O que ele fez com as moedas?

Para preservar as moedas em segurança, elas foram guardadas em um cofre de um banco enquanto Valdomiro busca informações sobre o que fazer com elas.

Mas antes de tomar qualquer decisão, é necessário avaliar se elas têm valor histórico e se podem ser consideradas um material arqueológico.

Caso sejam comprovadas essas características, as moedas se tornam um bem da União, conforme a legislação que protege os sítios arqueológicos.

Isso significa que elas não podem ser comercializadas sem autorização do Iphan, órgão responsável pela preservação do patrimônio histórico e artístico do país.

**Só Notícia Boa

Compartilhe a matéria nas redes sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia outras matérias relacionadas:


Inaugurado primeiro frigorífico de coelhos do Planalto Norte Catarinense

O Planalto Norte saiu na frente e nesta sexta-feira, 12, inaugurou o primeiro frigorífico de coelhos do Estado com registro no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-POA) emitido pela Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc). O Frigorífico da Associação dos Pequenos Agricultores Ecológicos e Orgânicos (Apaeco) fica na Colônia […]

Está chegando a 3ª Caminhada Intermunicipal “Caminho da Erva Mate”

A caminhada acontece entre União da Vitória e Porto Vitória Uma caminhada que reúne o que há de mais bonito e aprazível: O ambiente preservado de uma floresta, o rio Iguaçu, a força econômica da erva-mate que se revigora distribuindo riqueza e o Parque Histórico Iguassu, local icônico onde acontecerá a largada. A equipe organizadora […]

Associação Arte do Porto entrega nesta quinta o Troféu Valor Cultural

O prêmio é um reconhecimento ao excelente trabalho dos artesãos do município, que batalham pela manutenção de técnicas manuais e étnicas Na noite desta próxima quinta-feira, 18 de abril de 2024, as 19h30min, acontece na Sala de Eventos do Armazém 1, na Estação União em frente à Praça Hercílio Luz, a entrega do Troféu Valor […]