Defensores de “tratamento precoce” contra covid-19 são condenados por danos morais coletivos e à saúde » Rádio Colmeia FM

Escute a rádio

Defensores de “tratamento precoce” contra covid-19 são condenados por danos morais coletivos e à saúde


26 de maio de 2023

Ilustrativa

Ao julgar duas ações ajuizadas pelo Ministério Público Federal (MPF), a Justiça Federal no Rio Grande do Sul condenou os responsáveis pela publicação de material publicitário intitulado Manifesto Pela Vida. O grupo, que se identificava como “médicos do tratamento precoce Brasil”, estimulava o consumo dos medicamentos que fariam parte de suposto “tratamento precoce”. O material era divulgado à população em geral, inclusive, com a indicação de médicos que prescreviam o tratamento do denominado “kit covid”.

Nas sentenças, a Médicos Pela Vida (Associação Dignidade Médica de Pernambuco – ADM/PE), e as empresas Vitamedic Indústria Farmacêutica, Centro Educacional Alves Faria (Unialfa) e o Grupo José Alves (GJA Participações) foram condenados solidariamente ao pagamento de R$ 55 milhões por danos morais coletivos e à saúde, nos limites de suas responsabilidades. Em uma das ações (5059442-62.2021.4.04.7100), o montante do pagamento imposto pela Justiça foi de R$ 45 milhões e, na outra (5020544-77.2021.4.04.7100), a condenação foi no valor de R$ 10 milhões.

No informe publicitário, a associação – com sede no Recife (PE), mas que também é integrada por médicos registrados no Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers) – citava os possíveis benefícios do intitulado “tratamento precoce” para a covid-19, citando expressamente os medicamentos. Tal referência, no entanto, é realizada sem qualquer indicação de possíveis efeitos adversos que podem decorrer da utilização desses medicamentos, além de possivelmente estimular a automedicação, uma vez que era indicado por associação médica.

Segundo o MPF, a publicação contraria a legislação e ato normativo que tratam da propaganda e publicidade de medicamentos. Resolução da Agência Nacional da Vigilância Sanitária (Anvisa), por exemplo, determina que as informações sobre medicamentos devem ser comprovadas cientificamente, o que não é o caso daqueles elencados no manifesto quando aplicados a casos de covid-19.

Para o julgador, ficou comprovada a cumplicidade entre a Vitamedic e a Associação Médicos Pela Vida, tendo a empresa farmacêutica financiado a propaganda irregular, investindo R$ 717 mil nessa publicidade, conforme, inclusive, admitido pelo diretor da Vitamedic – fabricante do medicamente ivermectina – durante depoimento na CPI da Covid no Senado Federal.

Segundo o magistrado, tendo sido “configurada a interposição de pessoa ilícita, fica evidenciado que o ‘manifesto pela vida’ foi mecanismo ilícito de propaganda de laboratório fabricante de medicamento, servindo a ré do triste papel de laranja para fins escusos e violadores de valor fundamental, a proteção da saúde pública”.

Ao justificar o valor imposto nas sentenças, o magistrado assevera, ainda, que “a só e pura publicidade ilícita de medicamentos, pelos riscos do seu uso irracional, já representa abalo na saúde pública e sua essencialidade impõe a devida reparação”.

ATUAÇÃO DA ANVISA

Ao analisar a participação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no caso, a Justiça Federal reconheceu a atuação equivocada do órgão, que se esquivou a todo tempo de aplicar a sua própria norma sobre publicidade de medicamentos.

A Justiça Federal reconhece a omissão da Anvisa ao não ter atuado a associação para aplicar as penalidades previstas no caso, porém também afirma que o valor de indenização da sentença supera o que poderia ser imposto pela Agência, assim sendo, o julgador entendeu ter perdido objeto a parte em que o MPF pediu para que a Anvisa tomasse as providências cabíveis para exercer seu poder de polícia e punir a publicidade indevida.

Compartilhe a matéria nas redes sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia outras matérias relacionadas:


Acidente na rua Professora Amazília: moto e carro colidem no centro de União da Vitória

Por volta das 19h50min desta sexta-feira (12), o Corpo de Bombeiros de União da Vitória foi acionado para prestar atendimento em um acidente de trânsito na Rua Professora Amazília, área central. No local ocorreu uma colisão envolvendo um veículo VW Fox branco e uma moto Honda Biz lilás, ambos com placas Mercosul, sendo que deste […]

Acidente de trânsito na rotatória da Tirol deixa motociclista ferida em Porto União

Por volta das 18 horas e 20 minutos desta sexta-feira (12), o Corpo de Bombeiros de Porto União foi acionado para atender um acidente de trânsito na Avenida dos Ferroviários, no trecho conhecido como Rotatória da Tirol. No local, um veículo Raffae V e uma moto Honda Bis 125 colidiram, resultando em ferimentos na condutora […]

Acidente na BR-476 em Paula Freitas: Caminhão Carregado de Areia Tomba

Na tarde desta quinta-feira (11), um caminhão Volvo com placas de Marmeleiro/PR, tombou na BR-476, na Colônia Luzia, em Paula Freitas, próximo à Revestical. O veículo estava carregado de areia. O motorista, um homem de 40 anos, sofreu ferimentos moderados e foi encaminhado ao hospital pelo Corpo de Bombeiros. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi […]