Rádio Colmeia “Colabore conosco, nós também somos humanos e adoecemos”, diz enfermeira chefe sobre pandemia em PU » Rádio Colmeia

Escute a rádio

“Colabore conosco, nós também somos humanos e adoecemos”, diz enfermeira chefe sobre pandemia em PU


4 de junho de 2021

Imagem: Rádio Colmeia

O Jornal Colmeia desta sexta-feira, 4, contou com a presença do prefeito de Porto União, Eliseu Mibach, e da enfermeira chefe da secretaria municipal de Saúde, Ilse Simione. Em pauta, a situação da pandemia e da vacinação contra a Covid-19 no momento. Mibach também falou sobre algumas ações e obras realizadas no município. Você pode conferir o áudio da entrevista completa ao final desta matéria.

Porto União tem atualmente 482 casos ativos da doença. Todos os leitos disponíveis para pacientes Covid-19 estão ocupados e, de acordo com o prefeito, há pessoas internadas na secretaria de Saúde por não haver lugar no hospital. Nesta sexta-feira está sendo decretado a proibição da venda de bebidas alcóolicas após às 20h em estabelecimentos comerciais, mesmo sendo delivery. “Está virando em festa, em aglomeração, não pode gente”, afirmou Mibach.

A população não vem colaborando nem respeitando as medidas de combate ao Coronavírus para que os casos diminuam. “Infelizmente a prefeitura tem que disponibilizar gente para cuidar de adultos que não estão conscientes de suas responsabilidades”, colocou o prefeito. A vacina contra a doença já está disponível, mas ainda não consegue alcançar todos os grupos necessários para uma maior imunização.

A vacina tem sua eficácia mas a população também precisa fazer sua parte e manter os cuidados constantemente, visto que a imunização ainda segue a passos lentos, dependendo da distribuição realizada pelo Governo Federal.  

A enfermeira chefe da secretaria de Saúde, Ilse Simione, junto do secretário, Marivaldo dos Reis, puderam ver de perto a situação do Hospital São Braz. Ela conta que é difícil ver tudo o que está acontecendo e segurar o emocional dos profissionais de saúde, que estão esgotados e tem o quadro reduzido devido a percas pela doença. Não há funcionários disponíveis no mercado de trabalho para contratação como enfermeiros e técnicos de enfermagem. “Colabore conosco, nós também somos humanos e adoecemos”, apelou Ilse.

Vacinação

Desde o dia 19 de janeiro, data de entrega da primeira remessa de vacinas ao município, 11.366 pessoas já foram vacinadas entre indígenas, profissionais de saúde, idosos, forças de salvamento e segurança, idosos em instituições de longa permanência, pessoas com síndrome de Down, transplantados, gestantes e puérperas, pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente e professores.

De acordo com Ilse ainda há uma grande quantidade de vacina a ser aplicada e por chegar também. Mais carros foram adquiridos pela administração municipal para que as Unidades Básicas de Saúde (UBS) possam agilizar a vacinação.  

Toda organização para a imunização dos grupos é extraído a partir do trabalho dos agentes comunitários, por meio do Cadastro Domiciliar. Ilse conta que hoje as pessoas procuram as UBS e a secretaria de Saúde para realizar este cadastro, porém, esse trabalho sempre foi feito ao longo dos anos, sendo ignorado por parte da população que achou que nunca precisaria dos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS).

Lembrando que o SUS é um dos únicos do mundo a oferecer um sistema de vacinação totalmente gratuito a população.

O Cadastro Domiciliar recolhe informações como a quantidade de pessoas residentes na casa, comorbidades, se há sistema de esgoto, água encanada, etc. Nos dados cadastrais é solicitado o CPF do morador, que muitas vezes nega fornecer por não acreditar no trabalho sério que é realizado. “Nós procuramos trabalhar com grande seriedade”, garante a enfermeira chefe.

Atualmente a vacinação contra a Covid-19 segue para pessoas acima de 18 anos com comorbidades que apresentarem a constatação médica. Os próximos grupos contemplados serão os 58 trabalhadores da área de urbanismo da prefeitura, dois balseiros e os 43 trabalhadores da coleta de lixo. Nesta segunda-feira, 7, as vacinas já estarão sendo aplicadas neste grupo. Pessoas privadas de liberdade também estão próximas de receberem a vacina.

Em breve alguns municípios poderão começar a vacinar toda população acima de 18 anos. Por uma questão de organização e quantidade de vacinas, Porto União irá começar pela faixa etária de 59 a 55 anos e assim por diante, diminuindo a idade.

Influenza H1N1

A vacina para a Influenza H1N1, mais conhecida como vacina da gripe, está sendo disponibilizada nas UBS. Os grupos contemplados com essa imunização são crianças de 5 anos 11 meses e 29 dias, gestantes e puérperas, pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde, povos indígenas, pessoas com comorbidades, pessoas privadas de liberdade, adolescentes em medidas socioeducativas, professores, pessoas com deficiência e forças armadas.

É orientado que haja um intervalo de 15 dias entre a vacina da Covid-19 e a vacina da gripe.  

Ouça a entrevista na íntegra:

Compartilhe a matéria nas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia outras matérias relacionadas:


Epagri estima que safra de inverno será positiva em Santa Catarina

O Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri (Epagri/Cepa) estima que a produção da safra de inverno 2021/22 seja positiva em Santa Catarina, com previsão de aumento de produção em todo o Estado. Só o trigo deve ter um aumento de 55% no total produzido. Aveia, cevada, cebola e alho completam o rol das […]

Cruz Machado programa Horas Máquina abre licitação para contratação de empresas

Foi assinada na manhã desta segunda-feira, 21, a autorização para abertura de processo licitatório para a contratação de empresa especializada para prestação de serviços de Horas Máquina, destinados para serviços diversos em estradas e propriedade rurais contemplados no “Programa Horas Máquina”, conforme a Lei Municipal n.º 1411/2013, o qual busca o fomento e incentivo à […]

Cras em Casa de Irineópolis desenvolve atividade de reflexão sobre o trabalho infantil

Durante o mês de junho, os participantes do projeto Cras em Casa desenvolvem atividades em família que proporcionaram a reflexão sobre o tema “Trabalho Infantil”. Por meio de ações pedagógicas e recreativas a equipe do Cras buscou envolver o público atendido pelo projeto, sensibilizando a comunidade sobre os riscos que estão expostas as crianças e […]