Como evitar a proliferação de pernilongos » Rádio Colmeia

Escute a rádio

Como evitar a proliferação de pernilongos


10 de janeiro de 2022

Os pernilongos trazem muitas doenças como febre amarela, dengue, zikavírus, dentre outras. O que poucos sabem é que provavelmente esse pernilongo foi gerado na sua casa ou na vizinhança. Você sabe como evitar a sua proliferação?

Neste episódio a entomologista Rosa Maria Tubaki dá mais detalhes sobre o assunto.

Os pernilongos ou mosquitos em sua vida passam por 3 fases, que é o que chamamos fases do desenvolvimento: ovo, larva, pupa e adultos. As três primeiras fases ocorrem na água e a última na terra ou voando. Todo esse ciclo de vida dos mosquitos, de ovo a adulto, leva em média de 8 a 10 dias. As larvas do pernilongo precisam de água parada e não muito quente por isso não é todo lago que tem ovos ou larvas de pernilongo. Eles habitualmente ficam nas plantas próximas ao lago onde o sol não é tão intenso. 

A fêmea do pernilongo que tem uma vida média de 30 dias coloca centenas de ovos por vez (cerca de 200 a 400 por vez). Esses ovos que podem aguentar até 1 ano sem chuva, em muito pouco tempo em contato com a água já se transformam em larva e após pouco mais de uma semana centenas de mosquitos são formados. De modo geral, os mosquitos podem se dispersar passivamente em recipientes criados pelo homem como: vasos de plantas, containers de carga em navios e aviões e outros. Essa forma é que justifica um mosquito africano estar presente no Brasil. Naturalmente o mosquito não dispersa muito. Ele voa de 200-400m a 1,6 km em média. Mas habitualmente não precisam voar tanto porque encontram comida relativamente fácil no nosso meio.

Essas informações nos mostram que o pernilongo que está na sua casa muito provavelmente foi gerado na sua própria casa ou na sua vizinhança e, se não for feito nada com relação aos criadouros, centenas de pernilongos são formados no dia a dia. Pensando assim: o que pode ser um criadouro?

Existem criadouros bem grandes como represas, lagoas, remansos de rio e criadouros pequenos como depressão em estradas ou os encontrados em casas como vaso de planta, pneus, oco de árvore e folhas. 

O que você pode fazer se próximo a sua residência tiver um grande criadouro, por exemplo, uma piscina abandonada ou um terreno baldio?

Você pode recorrer aos órgãos competentes. No passado era o estado mas esse serviço agora é das prefeituras. Além disso, você pode adotar medida de prevenção dentro de sua casa como evitar água parada nos vasos, realizar dedetização e colocar cloro nas caixas d’agua.

Para saber mais, assista ao vídeo no canal do Doutor Ajuda.

Compartilhe a matéria nas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia outras matérias relacionadas:


Morador de União da Vitória é vítima de estelionatários e tem quase R$ 15 mil retirados de conta no banco

Compareceu na sede do 27º Batalhão da Polícia Militar em União da Vitória nessa sexta-feira, 24, por volta das 14h55, um morador da área central, relatando que foi vítima de um golpe com cartões do banco. Disse que recebeu a ligação de uma pessoa que se identificou como funcionário do Banco do Brasil, onde tem […]

Avança licitação de obra para solucionar queda de rochas em União da Vitória

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) realizou nesta quinta-feira (23) a sessão de abertura dos envelopes com documentos de habilitação da obra de estabilização de taludes em trecho da PRC-466 em União da Vitória. O local é conhecido como um ponto de queda de barreira, principalmente em períodos de chuvas, e atualmente […]

Aneel mantém bandeira tarifária verde para julho

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) manteve a bandeira verde em julho para todos os consumidores conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Com a decisão, não haverá cobrança extra na conta de luz no próximo mês. É o terceiro o anúncio de bandeira verde realizado pela Aneel desde o fim da Bandeira Escassez Hídrica, […]