Fórum debate investimento em novos mercados e produtos para impulsionar erva-mate paranaense » Rádio Colmeia

Escute a rádio

Fórum debate investimento em novos mercados e produtos para impulsionar erva-mate paranaense


17 de dezembro de 2021

Foto: SEAB

Os produtores paranaenses de erva-mate podem se beneficiar do investimento em produtos diferenciados e da exploração de novos mercados, com apoio de pesquisa, assistência técnica e parcerias entre entidades e poder público. O assunto esteve em discussão nesta quinta-feira (16) no 10º Fórum Institucional da Cadeia Produtiva da Erva-Mate, no câmpus da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) em Irati, no Centro-Sul do Estado.

Organizado pela Unicentro, o 10º Fórum tem parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná), a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento e a Embrapa Florestas, com o apoio da Invest Paraná e Solidaridad Brasil. Com a integração entre entidades do setor ervateiro, técnicos, produtores, indústrias e lideranças, o objetivo é estimular a sustentabilidade econômica, ambiental e social a partir da organização da cadeia produtiva, certificação da qualidade do produto e desenvolvimento tecnológico.

Na abertura, o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, incentivou que o consumo da erva-mate se expanda para além dos tradicionais chimarrão e tererê. “Temos tamanho e eficiência na produção agrícola, mas não podemos oferecer mais do mesmo. Nosso desafio é o mercado, gerar inovação, produzir com sustentabilidade e alargar a base de consumidores no mundo”, disse.

O Paraná é o principal produtor de erva-mate do país, com 63% da produção nacional, e a qualidade da erva-mate sombreada produzida no Estado é considerada a melhor do mundo, pois apresenta sabor e aroma diferenciados.

Para o diretor-presidente do IDR-Paraná, Natalino Avance de Souza, é preciso fazer um esforço de cooperação na cadeia produtiva, ajudando agricultores que mantêm boas práticas no campo a ganhar dinheiro. “Não basta ser o maior produtor ou ter a melhor erva-mate. Precisamos ter melhor preço, melhor renda, melhor qualidade de vida. O compromisso do Instituto é com a articulação com todos os segmentos”, disse.

Durante o evento, foi lançado o programa de Vocações Regionais Sustentáveis (VRS) – Erva-Mate, parceria entre a Invest Paraná e IDR-Paraná com apoio de diversas instituições e órgãos estaduais. De acordo com o gerente de Desenvolvimento Econômico da Invest Paraná, Bruno Banzatto, o VRS seleciona produtos paranaenses com potencial para criação de uma marca única. 

“A Invest Paraná é uma interlocutora do Governo do Estado, promovendo a intermediação entre os produtores paranaenses e a iniciativa privada”, destacou. A partir do lançamento do programa, os produtores locais terão acesso a uma série de iniciativas e oficinas de capacitação para saber como exportar seus produtos.

INOVAÇÃO E RENDA – Na região Centro-Sul do Paraná, aproximadamente 37 mil famílias se beneficiam da erva-mate, de acordo com o Conselho Gestor da Erva-Mate do Vale do Iguaçu (Cogemate). As indústrias buscam o desenvolvimento de itens para além do chimarrão e tererê, como nas áreas de cosméticos e alimentos, com foco na geração de emprego e renda. “O propósito desse envolvimento é principalmente a geração de renda na pequena propriedade”, disse o prefeito de Irati, Jorge Derbli.

O reitor da Unicentro, Fabio Hernandes, destacou que a instituição está de portas abertas para as parcerias que agregam valor à cultura. 

POTENCIAL – O coordenador estadual de Produção Florestal do IDR-Paraná, Amauri Ferreira Pinto, destacou que parceria entre diversos setores está ajudando a desenvolver a cadeia produtiva no Estado. “Quando a cadeia não está equilibrada e harmonizada, com rentabilidade e sustentabilidade para cada um de seus elos, não vai para frente. Começamos a debater nos Fóruns para identificar gargalos e promover boas práticas agrícolas, certificação, mercado e inovação”.

A erva-mate produzida no Paraná somou aproximadamente 638 mil toneladas no último ano – crescimento de 17% com relação a 2019 – e Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de R$ 753 milhões, segundo o Deral. Os municípios com maior VBP são, respectivamente, Cruz Machado, São Mateus do Sul, Bituruna, Prudentópolis e General Carneiro.

PROGRAMAÇÃO – A programação contou ainda com a participação do gerente regional do IDR-Paraná, Amilcar Marques, e do engenheiro agrônomo do Departamento de Economia Rural (Deral), Rogério Nogueira, que falou sobre a conjuntura econômica recente da cultura.

Compartilhe a matéria nas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia outras matérias relacionadas:


STF aprova a “revisão da vida toda” pelo INSS

O Supremo Tribunal Federal (STF) encerrou na tarde desta quinta-feira (1º) a análise da “revisão da vida toda” do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Onze ministros apresentaram seus votos, com placar de 6 a favor e 5 contra. Votaram a favor os ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Carmen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Rosa Weber e Marco […]

“Canoinhas não é terra de ladrão”, diz Juliana Maciel ao tomar posse como 1ª prefeita

Pela primeira vez na história, Canoinhas será comandada por uma mulher. Juliana Maciel Hoppe (PSDB) tomou posse na manhã desta quinta-feira, dia 1º, em sessão solene realizada na Câmara de Vereadores. “A minha postura enquanto política sempre foi de levar ao povo o melhor que tem dentro de mim, guiada sempre pelos passos de Deus, […]

Confira as vagas de emprego da Agência do Trabalhador de União da Vitória

Vagas de emprego estão disponíveis na Agência do Trabalhador de União da Vitória nesta sexta-feira, 02. Interessados em mais informações, podem procurar a agência com carteira de trabalho e número do Programa de Integração Social (PIS), das 8h às 14 horas. O atendimento aos trabalhadores, em relação a vagas e ao seguro desemprego, só serão […]