Tecnologia paranaense torna mais inclusiva a contratação de pessoas com deficiência » Rádio Colmeia

Escute a rádio

Tecnologia paranaense torna mais inclusiva a contratação de pessoas com deficiência


9 de junho de 2022

A decisão da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado, que reforçou as sanções ao descumprimento das cotas de contratação de trabalhadores reabilitados e com deficiência nas empresas, tem movimentado o mercado de trabalho.

O Projeto de Lei 33/2020 modificou a Lei 8.213, criada em 1991, que estabelece que as empresas com mais de 100 colaboradores devam ter de 2 a 5% das suas vagas destinadas a pessoas com deficiência (PcDs). O intuito foi aumentar as penalidades com pesadas indenizações caso empresas não cumpram a legislação, inclusive oportunizando não só novas vagas, mas condições iguais de desenvolvimento profissional, promoção e remuneração aos seus empregados com ou sem deficiência. Existem mais de 45 milhões de pessoas com deficiência no Brasil.

Com isso, a onda de contratações de PcDs tem sido crescente e sentida pela empresa Ímpar, especializada justamente em entregar aos RHs das empresas estes perfis. “Constatamos um aumento no número de candidatos e vagas desde o segundo semestre do ano passado e, por isso, sentimos a necessidade de buscar métodos que tornassem principalmente mais ágeis estes processos de seleção e recrutamento intermediados pela empresa, além de mais efetivos e inclusivos”, conta a consultora em Inclusão e Diversidade da Ímpar, Thaís Tavares Pompêo.

Para isso, ela conta que a Ímpar, que tem sede em Blumenau, foi ao mercado de softwares de recrutamento e seleção buscar justamente uma tecnologia que proporcionasse essas funcionalidades. “A tecnologia vem acelerar todos os processos, tornar menos manuais e mais automatizados, fazendo com que ganhemos tempo e atinjamos resultados mais precisos na busca por perfis para as empresas que atendemos”.

A Selecty, fornecedora de tecnologia para Recrutamento e Seleção de Curitiba, customizou sua plataforma para a Ímpar, que já está utilizando-a desde fevereiro. “Realizamos as adaptações necessárias em nossas soluções de acordo com as necessidades da Ímpar”, relembra o CEO da empresa, Márcio Monson.

Caminhando para dois meses de uso da plataforma, a Ímpar já contabiliza um salto imediato na agilidade. “Diminuiu em aproximadamente três vezes o tempo dos trâmites e processos”, calcula a consultora. “Antes, recebíamos o currículo, tínhamos de formatar, depois enviar à empresa contratante. Agora, isso é reunido na própria plataforma. Dispensamos documentos em planilhas, arquivos em drive. Não há mais o que ficar procurando manualmente, para triagem e seleção”.

Outro ganho perceptível está na comunicação com os candidatos e as candidatas. “As informações e as comunicações – como agendamentos – ficam centralizadas na plataforma”, exemplifica Thaís. Assim, a solução beneficia também os candidatos. Até porque a solução permite a produção de um currículo mais elaborado, preciso, ampliando as perspectivas de empregabilidade ideal.

“Entre as maiores benesses da plataforma está sua acessibilidade. Por exemplo, candidatos com deficiência visual conseguem utilizá-la sem nenhum problema. Esse foi um dos cuidados priorizados desde o início do desenvolvimento da solução, e que realmente faz a diferença”, pontua o CEO da Selecty.

Entre as especificidades da plataforma está, ainda, no campo PcD, a inserção de uma lista para que o candidato encontre com mais facilidade, e marque, qual o seu caso. Informação preciosa para que essa ponte entre pessoa com deficiência e mundo do trabalho seja estabelecida da melhor maneira possível.

Houve, ainda, a preocupação para que a plataforma dispensasse a obrigatoriedade de o candidato e a candidata informar o gênero, caso prefira. “Os candidatos também podem informar ou não a identidade de gênero e orientação sexual”, salienta o CEO da Selecty. O executivo adianta que a empresa trabalha, agora, no desenvolvimento de uma solução que permita a contratação às cegas, quanto ao gênero, idade, localização etc. “Isso permitirá processos seletivos 100% livres de qualquer tipo de análise para além das competências técnicas e comportamentais dos candidatos”, afirma Monson.

Afinal, segue ele, “a contratação de profissionais deve colocar em primeiro lugar suas habilidades, competências e fit cultural – como respeito, colaboração, empatia, valorização do ser humano, responsabilidade e olhar para a empregabilidade. Aqui na Selecty, por exemplo, o time é diversificado, com diferentes identidades de gênero, etnias e idades, e com lideranças predominantemente femininas.”

MAIS INFORMAÇÕES

Compartilhe a matéria nas redes sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia outras matérias relacionadas:


Vacas invadem casa de fazendeiro e descansam em sofá; veja vídeo

Os animais conseguiram entrar na casa, fechar a porta e até mesmo acender a luz da sala, segundo o fazendeiro publicou nas redes sociais. Confira o registro Michael Andrew foi surpreendido ao chegar em sua residência, em Redruth, na Inglaterra, durante a semana passada. Ao abrir a porta, o jovem de 19 anos reparou que […]

União da Vitória recebe The Big Circus um dos maiores circos do Brasil em Março

Globo da morte e o Mundo dos Dinossauros prometem encantar o público de União da Vitória e Porto União Em Março, dia 01, às 20h30, o The Big Circus estreia pela primeira vez em União da Vitória, no campo do São Bernardo Futebol Clube (Avenida Bento Munhoz da Rocha Neto) com uma atração especial: o […]

Cientistas criam “arroz de carne” para combater fome e desnutrição

A invenção consiste em grãos de arroz que foram implantados com células de boi em laboratório Cientistas da Coreia do Sul desenvolveram um novo tipo de alimento que pode ser uma solução para a fome e a desnutrição no mundo: o “arroz de carne”. A invenção consiste em grãos de arroz que foram implantados com […]