Uso de cheques no Brasil cai 95% desde 1995 » Rádio Colmeia FM

Escute a rádio

Uso de cheques no Brasil cai 95% desde 1995


23 de janeiro de 2024

Febraban destaca que apesar da redução no volume de transações, gasto médio aumentou, passando de R$ 3.257,88 em 2022 para R$ 3.617,60 em 2023.

O número de cheques usados pelos brasileiros em 2023 apresentou queda de 17% em relação ao ano de 2022, segundo informou nesta segunda-feira (22) a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). No ano passado, foram compensados 168,7 milhões de cheques. Na comparação com 1995, início da série histórica, quando foram compensados 3,3 bilhões de cheques, a queda registrada é de 95%. As estatísticas têm como base o Serviço de Compensação de Cheques (Compe).

“Os dados também apontam redução no volume financeiro dos cheques e no número dos documentos devolvidos e nos devolvidos sem fundos na comparação desde 1995. Naquele ano, o volume financeiro dos cheques compensados totalizou R$ 2 trilhões. Em 2023 o valor passou para R$ 610,2 bilhões, uma queda de 70,18%. Na comparação com 2022, houve redução de 8,5%, quando o montante atingiu R$ 668,8 bilhões”, informou a entidade.

No ano passado, foram devolvidos 18 milhões de cheques, o que representou 10,67% no total de cheques compensados no país, e uma queda de 7,9% na comparação com 2022, quando foram devolvidos 19,5 milhões de documentos. Os cheques podem ser devolvidos por motivos como não terem fundos, por irregularidades ou erro de preenchimento.

A entidade disse ainda que em relação aos cheques devolvidos sem fundos, o total caiu de 15 milhões, em 2022, para 13,6 milhões no ano passado, uma redução de 9%.

Na comparação com 1997, quando esses dados começaram a ser registrados, o número de cheques devolvidos sem fundo foi de 56,8 milhões.

A Febraban credita a diminuição no número de cheques devido ao avanço de meios de pagamento digitais, como internet e mobile banking, e a criação do Pix em 2020.

“A pandemia estimulou o uso dos canais digitais dos bancos e, hoje, quase 8 em cada 10 transações bancárias realizadas no Brasil são feitas em canais digitais, como o mobile banking e internet banking (77%). Soma-se a isso a preferência dos brasileiros pelo Pix, que vem se consolidando como o principal meio de pagamento utilizado no país”, afirma Walter Faria, diretor-adjunto de Serviços da Febraban.

Em relação aos pagamentos, a Febraban destaca que apesar da redução no volume de transações, o tíquete médio do cheque aumentou no último ano: passou de R$ 3.257,88 em 2022 para R$ 3.617,60 em 2023. Segundo a entidade, isso pode ser explicado como uma escolha dos brasileiros para as transações de maior valor.

Compartilhe a matéria nas redes sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia outras matérias relacionadas:


Ambulância da prfeitura de Bituruna se envolve em acidente na PR-170

Nesta terça-feira (18), por volta das 5h10min, na altura do km 553 da rodovia PR-170, próximo ao trevo da BR-153, na conhecida Serra de Santa Rosa, a ambulância da Fundação de Saúde de Bituruna colidiu na traseira de um caminhão de transporte de lâminas.O motorista ao avistar o caminhão tentou frear a ambulância, porém, devido […]

PL declara utilidade pública a Associação Futuro Craque

Na noite de ontem foi aprovado em segunda discussão, em unanimidade, na Câmara de Vereadores de União da Vitória o Projeto de Lei 10/2024, que declara de utilidade pública a Associação Esportiva Futuro Craque. O Projeto é de autoria do Vereador Cordovan Frederico de Melo Neto (PSB), nome conhecido não só como incentivador do esporte […]

IAT apresenta ao setor produtivo adequações na regulamentação da suinocultura no Paraná

Após uma série de estudos internos, o Instituto Água e Terra (IAT) finalizou o texto de revisão da Resolução Sedest nº 15/2020, que regulamenta a atividade de suinocultura no Paraná. A proposta será apresentada ao setor produtivo e entidades ligadas ao agronegócio nesta terça e quarta-feira (18 e 19) durante evento na sede do Sindicato Rural de […]