Cientistas criam “arroz de carne” para combater fome e desnutrição » Rádio Colmeia FM

Escute a rádio

Cientistas criam “arroz de carne” para combater fome e desnutrição


22 de fevereiro de 2024

A invenção consiste em grãos de arroz que foram implantados com células de boi em laboratório

Ilustrativa

Cientistas da Coreia do Sul desenvolveram um novo tipo de alimento que pode ser uma solução para a fome e a desnutrição no mundo: o “arroz de carne”. A invenção consiste em grãos de arroz que foram implantados com células de boi em laboratório, criando um alimento nutritivo e com alto teor de proteína.

O processo de produção leva cerca de 11 dias e resulta em um arroz com 10% a mais de gordura e proteína do que o arroz normal. Além disso, o “arroz-bife” é consideravelmente mais barato que a carne bovina, com um custo estimado de US$ 2 (cerca de R$ 10) por kg.

Sustentabilidade e impacto ambiental:

O “arroz de carne” também se destaca como uma alternativa sustentável à produção tradicional de carne. A fabricação do novo alimento emite bem menos carbono do que a criação de gado. Para se ter uma ideia, a produção de 100g de proteína de arroz de carne emite apenas 6kg de CO₂, enquanto a mesma quantidade de proteína de carne bovina emite 49kg de CO₂.

Aplicações e desafios:

O “arroz de carne” tem o potencial de ajudar a combater a fome e a desnutrição em regiões com recursos limitados, além de servir como fonte de alimento para astronautas e tropas militares em missões longas.

No entanto, alguns especialistas alertam que o novo alimento não substitui completamente uma refeição com carne vermelha. Mais estudos e testes são necessários para avaliar o impacto do “arroz de carne” na saúde humana a longo prazo.

Ainda não há previsão de quando o “arroz de carne” estará disponível para o público. Os cientistas ainda precisam realizar mais pesquisas e testes para garantir a segurança e a qualidade do produto.

O desenvolvimento do “arroz de carne” é um passo importante na busca por soluções inovadoras para os desafios alimentares do futuro. A combinação de nutrição, baixo custo e sustentabilidade torna esse novo alimento uma promessa para a segurança alimentar global.

Compartilhe a matéria nas redes sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia outras matérias relacionadas:


Beneficiários do INSS começam a receber o 13º a partir de quarta-feira

Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começam a receber a primeira metade da parcela do 13º salário, a partir desta quarta-feira (24). Em geral, a primeira parcela do abono anual, também conhecido como 13º dos beneficiários da Previdência Social, ocorre em agosto de cada ano. No mês passado, o governo […]

Nova feira dos produtores rurais em União da Vitória promete surpreender

A feira contará com uma ampla gama de comodidades, incluindo uma cobertura de policarbonato em estrutura metálica, barracas externas com toldo e calçadas União da Vitória está prestes a receber uma adição marcante, com Nova Feira dos Produtores Rurais. Esta iniciativa, que está sendo realizada pela Prefeitura com investimento federal através de emenda do Deputado […]

Transformação digital: novo sistema comercial da Celesc disponibilizará mais de 80 serviços online

Migração vai acontecer no fim deste mês, quando o atendimento funcionará de forma parcial por três dias úteis A partir de 07 de maio, os mais de 3,5 milhões de clientes da Celesc terão acesso a todos os serviços da distribuidora de forma mais ágil, prática e intuitiva, sem precisar sair de casa. Isto porque, […]