Rádio Colmeia Entrevista Exclusiva: Deputada estadual Luciane Carminatti defende o retorno das aulas presenciais após vacinação dos trabalhadores da educação » Rádio Colmeia

Escute a rádio

Entrevista Exclusiva: Deputada estadual Luciane Carminatti defende o retorno das aulas presenciais após vacinação dos trabalhadores da educação


6 de fevereiro de 2021

Tramita na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) o Projeto de Lei (PL) 2/2021, que inclui os trabalhadores da educação como grupo prioritário do Plano Estadual de Vacinação contra a COVID-19, antes do início das aulas presenciais em todo o território do Estado. O PL foi lido na primeira sessão da Câmara e aguarda aprovação de três comissões para ir à votação em Plenária.

Em entrevista exclusiva ao Jornal Colmeia, na tarde de quinta-feira, 04, a deputada estadual Luciane Carminatti (PT) uma das autoras do projeto, explicou um pouco mais sobre o tema. Professora e presidente da Comissão de Educação, ela ressalta que os professores já são considerados público prioritário no Plano Nacional de Imunização, e cobra agilidade na tramitação por acreditar que a quarta fase da campanha é muito tardia.

FOTO: Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

“Se a gente não fizer isso, quarta fase para vacinar os professores e trabalhadores em educação, ela vai ser final do ano. Ela vai ser quando? Porque o ritmo está muito demorado em Santa Catarina. Para ter uma ideia, nós não vacinamos ainda nem 1% da população catarinense”, reforça.

Um exemplo dado pela deputada é que a maioria dos trabalhadores tem em seu círculo de convivência pessoas do grupo de risco, como parentes idosos, assim como as crianças, que mesmo não apresentando sintomas, são vetores de transmissão e podem estar contaminando seus familiares.

De acordo com Luciane, se todas as escolas públicas e privadas retornarem de forma presencial, será movimentado, somente pela educação, 16% do total da população catarinense. “A vacinação não é só eficaz e necessária para garantir a segurança aos trabalhadores da educação, ela é fundamental para todos”, defende a parlamentar.

O projeto foi protocolado pela bancada do PT em 20 de janeiro deste ano, ainda durante o recesso parlamentar. Ele já foi lido no expediente da primeira sessão ordinária da Assembleia, no dia 03, no entanto, precisa da aprovação de três comissões para ir à votação no Plenário. “O prazo é uma decisão política”, afirma a deputada.

Para Luciane a questão não é negar a vacina para um grupo ou outro, e sim trazer imunização para todos. “Se a gente não fizer esse movimento de trazer vacina para os trabalhadores da educação e acelerar para que toda a população tenha vacinação, nós vamos ficar vendo cada dia um setor da economia quebrar e nós vamos ficar a cada dia vendo o debate do retorno às aulas não avançar. Eu quero escola aberta, mas antes de ter escola aberta, se eu tivesse que optar, eu diria: eu quero vida, eu quero criança viva, eu quero pai, mãe e professor, trabalhador da educação vivo”, finaliza a deputada.

Ouça a entrevista completa:

Compartilhe a matéria nas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia outras matérias relacionadas:


Terceira sessão da Câmara de Vereadores de UVA debate sobre britador adquirido na gestão anterior

Na segunda-feira, 22 de fevereiro foi realizada a terceira Sessão na Câmara de Vereadores de União da Vitória. O presidente Cordovan de Melo Neto, convidou a população para a Audiência Pública de revisão do plano diretor que foi realizada nessa sexta-feira, 26. Fazendo uso da palavra livre o vereador Waldir Luiz Cortellini (PSB) e Emerson […]

Aneel mantém tarifa de bandeira amarela para março

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou ontem (26) que a bandeira tarifária permanecerá amarela no mês de março. Dessa forma, o consumidor pagará R$1,343 para cada 100kWh utilizados.  Em nota, a agência explicou que os reservatórios das hidrelétricas estão com volume reduzido, embora tenham ocorrido chuvas recentes nas bacias do Sistema Interligado Nacional […]

Toffoli considera ilegal defesa da honra em casos de feminicídio

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli decidiu ontem (26) considerar inconstitucional a aplicação da tese de legítima defesa da honra em processos criminais envolvendo feminicídio. A decisão individual do ministro foi motivada por uma ação protocolada pelo PDT.  Na quinta-feira (5), o plenário da Corte vai decidir se referenda ou não a […]